"Teu amor pelas cousas sonhadas era teu desprezo pelas cousas vividas."

domingo, 4 de abril de 2010

Vida.


Coisa arrojada a um canto, trapo caído na estrada, meu ser ignóbil ante a vida finge-se.

1 comentário:

Anónimo disse...

Lindo.