"Teu amor pelas cousas sonhadas era teu desprezo pelas cousas vividas."

quinta-feira, 18 de novembro de 2010


Minha sensibilidade é uma chama ao vento que não se apaga.

Foto: Cidade de Chernobyl, Ucrânia. Autor desconhecido.

Sem comentários: